domingo, 6 de março de 2016

COMO O NOVO LIBRE OFICCE CAI NA SUA PROVA

Para quem nunca usou, estudou ou até mesmo viu o novo LibreOffice em qualquer uma de suas versões hoje vem sendo objeto de estudo e utilização em instituições municipais, estaduais e federais ao longo de todo Brasil. Por isso a grande necessidade de conhecermos um pouquinho mais a respeito.
LibreOffice é o nome do projeto Open Source, de código-fonte aberto que assume o OpenOffice.org após a aquisição pela Oracle, Sun Microsystems.
O “novo office” livre surgiu com o nascimento do projeto em setembro de 2010 pela The Document Foundation organização aberta, independente, autogovernada, meritocrática, montada sobre os dez anos de trabalho dedicados para a comunidade OpenOffice.org.
A TDF, como é chamada a fundação, foi criada na crença de que a cultura de uma organização independente agrega o melhor dos esforços de empresas e de voluntários, produzirá a melhor suíte de escritório. Em Janeiro de 2014, a TDF já tinha 190 membros e mais de 3000 voluntários e contribuidores ao redor do mundo.
A suíte de aplicativos de escritório livre, gratuito e multiplataforma para escritório está disponível para Windows, Unix, Solaris,  Linux e Mac OS X. Em breve estará disponível para plataforma Android (Tablet e Smartphone), iOS (iPAD, iPhone) e para Web Online.
Com o software traduzido para mais de 100 idiomas, o LibreOffice pode ser utilizado nativamente por quase 5 bilhões de pessoas ao redor do mundo, tendo um papel crucial no aumento da inclusão digital nos países onde a língua usada não é o inglês.
Este aplicativo é baseado em softwares livre (que podem ser copiados, modificados, estudados e distribuída as alterações), portanto não tem problemas com licenças.
O aplicativo é o segundo mais utilizado no Brasil, entre as suítes de escritório, contando com aproximadamente 25% dos usuários, principalmente entre grandes empresas.
O programa chegou a um nível de maturidade que o torna adequado para todo tipo de instalação, especialmente com o suporte e orientação de empresas especializadas.

O LibreOffice oferece editor de texto, planilha de cálculos, banco de dados, aplicativo para desenho, ferramenta para criar apresentações e editor de fórmulas matemáticas.
Entre os programas mais utilizados encontramos o LibreOffice Writer que é uma ferramenta de processamento de texto e editoração eletrônica moderna. É simples o suficiente para um memorando rápido, mas poderoso o suficiente para criar livros completos com conteúdo, diagramas, índices, e muito mais.
Podemos criar: documentos padrão, tais como cartas, faxes, agendas e minutos, e facilita o trabalho de tarefas mais complexas, como malas diretas.
O LibreOffice Writer não faz parte do sistema operacional Windows ele é baixado e instalado em pacotes com versões atualizadas no site do fabricante em português /Brasil, https://pt-br.libreoffice.org, de forma gratuita e com código-fonte aberto.
O LibreOffice utiliza o formato OpenDocument (ODF) em todos os seus programas, possui ainda melhor interoperabilidade com Microsoft OOXML, principalmente para DOCX, como para o legado RTF.
Podendo assim salvar os documentos de texto em diversos formatos diferenciados e ainda abrir, editar e exportar PDF.
O LibreOffice Calc é um programa de planilha eletrônica e assemelha-se ao Lotus 1-2-3, da IBM, e ao Excel, da Microsoft.
Já o Calc é destinado à criação de planilhas e tabelas, permitindo ao usuário a inserção de equações matemáticas e auxiliando na elaboração de gráficos de acordo com os dados presentes na planilha.
Toda essa revolução fez com que a Microsoft pensasse melhor nas tendências do futuro e adaptasse seus produtos a novas realidades como falaremos em outro artigo de Windows 10, sistema operacional gratuito e livre, e o Office 365 voltado para nuvem. 
  • Luciano Antunes
    Professor Luciano Antunes, mestre em Tecnologia da Informação especializado em Redes e Segurança da Informação. Graduado em Processamento de dados (Informática) vem se dedicando a aulas, livros e apostilas para Concursos (...)
    FONTE: FOLHA DIRIGIDA